Igreja: comunidade que partilha os dons e os bens.

A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém dizia que eram suas as coisas que possuía, mas tudo entre eles era comum. Com grande coragem os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. Em todos era grande a graça. Nem havia entre eles nenhum necessitado, porque todos os que possuíam bens vendiam-nas e traziam e depositavam-no aos pés dos apóstolos. Repartia-se então a cada um deles conforme a sua necessidade. Assim José (a quem os apóstolos deram o sobrenome de Barnabé que quer dizer Filho da Consolação), levita natural de Chipre, possuía um campo. Vendeu-o e trouxe o valor dele e depositou aos pés dos apóstolos.

Esta palavra nos fala da união dos primeiros fiéis, cujo segredo para se manterem unidos era a perseverança. Todos caminhavam juntos e tinham um só foco: Jesus Cristo. A unção do Senhor permanecia sobre eles e assim o Espírito Santo agia, fazendo com o que a graça de Deus fosse vista por quem os via. Tudo eles dividiam, e isso, os fazia diferentes.

Nós, como cristãos católicos temos que ouvir o clamor do Senhor para que, a exemplo dos primeiros fiéis, também possamos nos unir e caminhar firme num propósito comum: Jesus Cristo. É preciso que levemos uma vida de oração, dividamos nossas coisas com os irmãos mais necessitados; precisamos nos colocar à disposição de Deus e do nosso próximo, nos despojarmos realmente de tudo aquilo que nos afasta do Senhor.

Vemos na palavra que Barnabé vendeu um campo e doou tudo aos pés dos apóstolos. Isso mostra que ele não ocultou nada de Deus, nem mentiu para Ele. Que sejamos assim como Barnabé, transparentes com Deus e com os nossos irmãos, para que as promessas do Senhor se cumpram em nós. Sabemos que não temos como caminhar sozinhos, e para isso, Jesus nos convida a viver em comunidade. Mas para que isso seja uma realidade, nós não devemos ser falsos, ou seja, não há caminho comunitário possível se nós o fizermos em meio à falsidade.

Não ostentemos as coisas materiais, nem a nós, mas sim o nome do Senhor e tudo aquilo que Ele faz por nós. Temos a responsabilidade de levar Jesus às pessoas; temos que aprender a viver em comunidade e buscar na Igreja os dons do Espírito Santo. Sejamos corajosos, perseverantes e desejosos da graça de Deus. A Igreja é plenamente viva, porque é o Senhor quem a conduz.

Sejamos alegres por sermos de Deus, pois Ele conta com cada um de nós!

Essa matéria foi visualizada 374 vezes.